quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

À CARIDADE

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012
[Nigéria, África, MSF Médicos Sem Fronteiras]


No universo a caridade, 
Em contraste ao vício infando, 
É como um astro brilhando 
Sobre a dor da humanidade! 

Nos mais sombrios horrores 
Por entre a mágoa nefasta 
A Caridade se arrasta 
Toda coberta de flores! 

Semeadora de carinhos, 
Ela abre todas as portas 
E no horror das horas mortas 
Vem beijar os pobrezinhos. 

Torna as tormentas mais calmas, 
Ouve o soluço do mundo 
E dentro do amor profundo 
Abrange todas as almas. 

O céu de estrelas se veste 
E em fluidos de misticismo 
Vibra no nosso organismo 
Um sentimento celeste. 

A alegria mais acesa 
Nossas cabeças invade ... 
Glória, pois, à Caridade, 
No seio da Natureza! 

ESTRIBILHO: 

Cantemos todos os anos 
Na festa da Caridade 
A solidariedade 
Dos sentimentos humanos.  


[Augusto dos Anjos (1884-1914) está entre os poetas brasileiros que viveram a sabedoria universal. Os versos a seguir, que podem ser lidos como uma oração, têm um sabor e um tom simultaneamente cristão e budista. Reproduzido do volume "Augusto dos Anjos, Obra Completa", Ed. Nova Aguilar, Rio de Janeiro, 2004, 884 pp., ver p. 491; 
fonte http://www.filosofiaesoterica.com]

2 bilhetes:

Ives disse...

Nossa, muito emocionante: lindo! Precisamos ler mais poesias assim, para írmos em busca da caridade! abraços

Márcio André disse...

Gislene,

é uma grande ispiração para um próximo poema meu.
Visite meu blog e leia NÃO MATE AS FLORES.

Felicidade,
Márcio

 
[MUNDO DA GISLENE] © 2008. Design by Pocket