segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

FOLHA DE GUARDA

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012
[O estudante, ost, pintura de Van Gogh]


Na infância, a mãe comprava cadernos simples para nós, quatro filhos, já que não tinha recursos suficientes para adquirir cadernos de capa dura.


Ficava chateado. Eu queria as figuras de desenho animado dos colegas. As estampas da moda. Pernalonga, Mickey e Cebolinha.


Durante a aula, tentava esconder a superfície do meu material dos olhares curiosos da turma. Tinha vergonha. Muita vergonha da simplicidade. Colocava os dois braços por cima para ninguém espiar, ninguém descobrir que me faltava dinheiro. Mas os colegas me empurravam, cruéis, fofoqueiros.


– Deixa ver? Deixa ver?


Forçavam a abertura dos meus dedos.


E eu era obrigado a mostrar.


Em vez do deboche, eles adoravam. Não entendia, todos amavam e invejavam meus cadernos personalizados. Meus cadernos manufaturados.


Eu era injusto com minha mãe. Ela transformava a pobreza em capricho. Encapava os nossos cadernos com papel-presente.


Mesmo trabalhando dois turnos, cozinhando, cuidando sozinha da casa, a mãe encontrava tempo na madrugada para embrulhar vinte cadernos e distribuí-los nas nossas mochilas.


Primeiro, separava os grãos do feijão na bacia. Depois, recortava e embrulhava nossos pertences.


Por isso, mais do que simplesmente comprar a lista do material escolar que vem da escola, participe da escolha dos itens com seu filho. Coloque etiqueta junto, espie o conteúdo das obras, incentive o uso. 


Aproveite esse momento. É como uma festa de aniversário. A criança nunca esquecerá a escolta, a companhia, a folha de guarda.


Até hoje minha felicidade tem cheiro de livro novo.


[Fabrício Carpinejar]

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Você sabe quem é Fabrício Carpinejar?
É um mestre da literatura brasileira. Poeta, escritor, colunista e jornalista. Com 12 livros publicados; premiado escritor que recebeu em 2003 o prêmio nacional Olavo Bilac pela Academia Brasileira de Letras; colunista do Jornal Zero Hora de Porto Alegre (RS).

2 bilhetes:

✿ chica disse...

Fabricio escreve bem e gosto muito! beijos,chica

don vito andolina disse...

Hola guapa,gracias por esta entrada tan hermosa, preciosas letras, un placer leerte amiga, pasa buena tarde, besos rotundos..

 
[MUNDO DA GISLENE] © 2008. Design by Pocket